segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Personagem da semana - 18ª edição

Oba, a censura está de volta!
Todos os textos desse personagem da semana, são tiradas da fonte original.

Um Projeto de Lei quer definir o que você pode ou não assistir na sua TV. Você concorda com isso? Nós não!


“Art. 17. O empacotamento do serviço de comunicação audiovisual eletrônica por assinatura e das demais modalidades de prestação de serviço de TV por assinatura deverá conter pelo menos 50% de conteúdo nacional...”


Substitutivo ao Projeto de Lei nº 29, de 2007, conforme seu relator Wellington Fagundes (Deputado do PR-MT)

O que isso significa? Que você não pode mais escolher o que vai passar na sua TV. E pior, que vai pagar mais por menos.


Com a definição de cotas de exibição, canais já consolidados na programação que não possam cumprir os critérios do projeto ficam ameaçados de extinção. Mesmo o investimento em novos canais e em nova programação fica comprometido diante deste cenário. Como resultado, empregos diretos e indiretos ligados a todo setor de TV por assinatura ficam ameaçados.

Como a demanda para preencher a programação dos canais é gigantesca – basta considerar que para consolidar 24 horas de uma grade é necessária a exibição de pelo menos 12 programas por dia – num primeiro momento é certo que o índice de reapresentações irá aumentar consideravelmente. Quem se recorda da cota de telas e da imposição de curtas metragens nas salas de cinema certamente sabe o que isto pode significar: reprises e mais reprises!

O Projeto de Lei n° 29/07 se encontra neste momento na Comissão de Ciência e Tecnologia, Informação e Comunicação da Câmara dos Deputados presidida pelo Deputado Julio Semeghini (PSDB/SP) e tendo como relator o Deputado Jorge Bittar (PT/RJ).
A este projeto foram apensados outros três que tratavam do mesmo tema: os Projetos de Lei nº 70/07, no 332/07 e nº 1908/07. O PL nº 29/07 foi a primeira proposta apresentada na Câmara dos Deputados para alterar a legislação que dispõe sobre os serviços de TV por assinatura.
A proposta do Deputado Bittar impõe uma cota de 40% de conteúdo nacional no total da programação e uma cota adicional de 10% de conteúdo nacional para cada canal – incluindo os canais estrangeiros!


Julian de volta:
Entenderam a gravidade da coisa? Agora querem mandar no que assistimos!
Já assinamos tv por assinatura pra fugir da fraca e entediante televisão aberta brasileira... pra inventarem essa baboseira!

É contra essa palhaçada?
Clique aqui http://www.liberdadenatv.com.br/ e envie seu nome com o e-mail, mas bote seu nome de verdade, pelo amor de deus, pois o negócio é sério.

Por que colocar isso de destaque semanal? Porque estamos com risco de perder nossa programação da tv. Aí pirateamos filmes, séries e tudo mais da internet. Mas o povo brasileiro que ta errado. Não o dono do projeto, que incentiva pirataria.
Vamos lá, assine e colabore. Estou fazendo minha parte.


E não tem foto! Não precisa!