quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Não é todo dia que...

...a gente anda de metrô com o Padre Quevedo haahhaha. Pois é. A bizarrice aconteceu há minutos na linha verde do metrô de São Paulo. Na Vila Madalena, um caminho não muito comum pra mim, vou por lá apenas quando perco a primeira opção, o trem que vai para a Barra Funda. Desci as escadas do metrô e andei um pouco para pegar os vagões da frente, que são mais vazios, quando vejo um senhor me pé, careca, parecido com alguém que já vi muitas vezes na TV. Pensei comigo, não pode ser. Olho direito e o velho está com um crucifixo enorme pendurado no pescoço. A certeza estava vindo. Só faltava ele abrir a boca. BATATA. Vem um funcionário do metrô e manda a notícia. "O metrô vai atrasar."

- Isto non ecxiiiiiiiiiste! - gritou

AHahhahahaAH. Brincadeiras a parte. O velho falou, mas não foi sua célebre frase. Apenas conversou com dois rapazes alguma coisinha, o que bastou pra ouvir sua voz rouca e seu sotaque espanhol.

Tentei tirar uma foto, mas fiquei meio assim. Vai que ele me solta um poder psicossomático.

Na hora de ir embora, perguntei. "Quantos centímetro tem um metro?" AHauhAUhaUha

***

ps: fui visitar a pitucha ontem e ela não teve mais convulsões, mas tava bem tristinha e fraca por não comer. Se alegrou um pouco quando cheguei, e queria sair da jaulinha pra ir embora. Hoje vai fazer exames na USP. Espero que aguente tudo. E obrigado pela força!