quarta-feira, 9 de abril de 2008

Aguentam outro Top 10?

Eu tô enrolando pra fazer um top 10 das músicas mais fodas que eu já ouvi ao vivo, desde quando eu nem imaginava ter esse blog. E como fui no show do Ozzy dia desses, acho que dessa vez me empolguei mais ainda pra fazer. Tentei um top 10, mas virou top 14. E um top 14 que o último lugar às vezes é o primeiro e vice-versa. Depende totalmente do meu momento, mas geralmente é isso.


Prepare-se para ler, pois além da inspiração, vou usar esse post como o meu "futuro diário de shows", para relembrar detalhes mínimos de cada empreitada.

Clique nas imagens para ver os vídeos de cada música no youtube, vale a pena. Ou clique no nome da música.

14º - Someday - The Strokes

Data: 23 de outubro de 2005 (Domingo),
Média de Público: 20 mil pessoas
Local: Tim festival - Anhembi (sambódromo)
Ingresso: Pista. Comprado na Fnac do eldorado. Ainda tenho guardado.
Preço: 50 reais


Motivo: Nada demais. Strokes é aquela banda que nunca foi meu forte. Nunca fui atrás, só conhecia as musiquinhas de rádio ou de Mtv, e uma música ou outra Lado B, daquelas que um amigo seu que conhece mais a banda, manda por msn, você ouve uma vez e depois fica lá nos meus arquivos recebidos.

Fui no show, porque adoro shows, gostaria muito de ouvir minha preferida "someday" ao vivo (entre outras como reptilia e 12:51) , e também porque pagar 50 reais num ingresso e assistir também Kings of Leon valeria a pena. Kings of leon aliás, só não está nessa lista porque a banda ao vivo não foi tão boa. A propósito, a surpresa da noite ficou por conta do Arcade Fire, banda canadense com uma puta presença de palco, carisma e som do caralho. Banda que levantou a galera, com músicas que você curte mesmo na primeira vez que ouve. Ainda peguei autógrafo do vocalista e da vocalista.


As decepções: Kings of leon, pelo conjunto da obra, e por não tocarem uma música que eu queria que tocassem chamada Happy Alone. A superlotação do evento, por ser um festival que cobrava 50 reais a meia entrada, deixou o show cheio de "babaca". A desogarnização do evento que prometia strokes as 22h, mas a banda só entrou no palco às 2 da madrugada, o grande número de arrastões, de gente folgada. Eu fiquei numa grade lateral, onde toda hora as pessoas vinham reclamar que tinham sido roubadas e o meu mal-estar. Fiquei das 4 da tarde até as 3 da manhã em pé, sem comer, e ainda mascando um chiclete, que fez meu estômago delirar. Tava quase "pedindo pra sair".


13º - American Jesus - Bad Religion

Data: 14 de abril de 2007 (sábado)
Média de público: 3 mil pessoas
Local: Credicard Hall
Ingresso: Pista. Comprado no próprio credicard hall no mesmo dia que comprei ingresso pro show do aerosmith. Tenho guardado ainda e custou 60 reais a meia entrada.


Motivo: Fiquei em dúvida entre Infected, Los Angeles is Burning e American Jesus. Decidi por american jesus porque é o clássico dos clássicos, e também porque além de ter sido uma das primeiras músicas que aprendi tocar na guitarra, marcou minha adolescência. Bad religion é uma das poucas bandas que conheço muitas músicas e não sei o nome, e isso acontece porque gosto muito da voz de Gref Graffin e de levadas rápidas com as de Bad Religion. Eu simplesmente ia ouvindo sem distinguir música boa ou ruim, pra mim 95% delas são fodas. Tenho dois cd's, algumas músicas no computador, mas de nome mesmo conheço as mais clássicas. O carisma do vocalista também foi um ponto forte desse show que teve poucas decepções.


As decepções: As decepções não chegam ser decepções, e sim, pontos negativos que nem fizeram muita diferença. Mas eu queria muito ouvir "a walk", punk rock song e new america, e não rolou.
E o show num geral estava vazio. A pista vazia. De longe o show mais "tranquilo" que já fui. Tranquilo está entre aspas porque com certeza foi uma das piores rodas que já enfrentei. Saí da muvuca na quarta música.



12º - Wild Horses - Rolling Stones

Data: 18 de Fevereiro de 2006 (sábado)
Média de Público: 1 milhão e 200 mil pessoas.
Local: Praia de Copacabana
Ingresso: Praia. Gastei 120 reais de passagens, mais uns 100 reais na viagem toda.


Motivo: Wild Horses sempre foi a música que eu mais curtia dos Stones. Uma baladinha foda, que eu era viciado desde a oitava série. Ou seja, minha maior preocupação no dia era: esses fdp vão tocar wild horses ou não? A lógica dizia que sim. Meu pessimismo dizia que não. Tocaram e foi lindo. Até mais emocionante que ouvir Start me Up e Jumpin' Jack Flash.


As decepções: fiquei longe do palco. Nem tanto quanto as pessoas que estavam no último telão. Eu estava no primeiro, de uns 10 instalados na praia, mas só de estar lá já foi demais. Outro ponto negativo foi o, já esperado, grande número de fanfarrões. "É de graça, vai passar na globo, e o vocalista, o michael jackson, é pai do filho daquela apresentadora do superpop". Pelo menos curtiram Satisfaction amarradões. E é claro, o show do afroreggae.




Data: 20 de fevereiro de 2006 (segunda)
Média de Público: 70 mil pessoas
Local: Estádio do Morumbi
Ingresso: Pista. Caiu do céu. Comprei de um amigo que tinha um ingresso sobrando. 200 reais, ingresso guardado até hoje.


Motivo: Duas músicas que eu curto demais. Junto com one, e new year's day (que também tocou) são as músicas que eu mais gosto do u2. O show foi muito perfeito num todo. Fui com várias músicas na cabeça, e todas tocaram. Caso raro em shows, ainda mais u2 que tava com um setlist com várias "ausências boas" nos shows daquela tour. With or whitout foi perfeita, ver o estádio todo cantando, 70 mil de pé. E Stuck in a moment, foi especial pelo acústico do bono e do the edge.


Decepção: Aquela katilce pentelha que subiu no palco a pedidos do bono, e as 13 horas desperdiçadas na fila pra comprar ingresso no pão de açúcar do shopping villa-lobos. Puta palhaçada, fui conseguir ingresso de última hora com um amigo. Fui no show por pura sorte.



Data: 8 de dezembro de 2007
Público: 70 mil pessoas
Local: Estádio do Maracanã
Ingresso: Cadeira superior. Comprado pelo val e pelo diego, dois amigos cariocax. Preço, 95 reais. E não guardei porque era um cartão que ficava preso na máquina. Mas guardei um talãozinho onde ficava guardado o cartão.


Motivo: Baladinhas fodas, isqueiros na Wrapped Around Your Finger e muita empolgação em every breath you take.


Decepção: Nenhuma. Organização boa, poucos cambistas enchendo o saco, e até o show de abertura do paralamas foi todo legal. Só o fato de única apresentação no rio.


9 - Highway Star - Deep Purple

Data: 20 de setembro de 2003
Público: 40 mil pessoas
Local: Estádio do Pacaembu
Ingresso: Setor G da pista. Comprado na fnac do eldorado.


Motivo: Música que eles abriram o show. O primeiro show grande de rock que fui na vida. Estádio inteiro delirando, e cantando alto pra caralho. Inesquecível. Não encontrei o vídeo do show do pacaembu, mas coloquei um do show de 1991 no braisl, que eu não fui, claro. O outro show do deep purple que eu fui, é o de 2005, no credicard hall, também foi bom. Pensei em colocar smoke on the water ou black night, mas highway star é imbatível. E o sessentista Ian gillan, ainda dá show com sua voz. Fica vermelho que nem um pimentão, mas chega na maioria de seus agudos.


Decepção: Nenhuma. Um show perfeito. Nada de errado ocorreu nesse dia, pelo contrário, conseguimos assistir de pista VIP, graças à malícia do meu tio marcus, que pegou os nossos 4 ingressos na mão, esperou uma muvuca, e entramos no setor A da pista, enganando os seguranças. Na ocasião, os 4 ingressos eram meu, do meu pai, do meu tio e do hugo. Ainda cheguei a encontrar 2 amigos que estavam naquele setor.


8 - Cryin - Aerosmith

Data: 12 de abril de 2007 (quinta-feira)
Público: 65 mil pessoas
Local: Estádio do Morumbi
Ingresso: Pista. 80 reais, comprado no credicard hall. Ingresso guardado.


Motivo: Aerosmith é uma banda memorável demais pra mim. Primeiro clipe que vi na Mtv - hole in my soul do aerosmith. Primeira música que viciei a ponto de escutar 100 vezes por dia - hole in my soul, que era trilha sonora internacional da novela das 7 da globo, na época, Zazá, lembram?

Sendo assim, tenho minha história particular com Aerosmith. Uma pena não terem tocado hole in my soul. Entretanto, outro clip que tenho gravado na memória é Cryin'. Música foda, clipe mais foda ainda por ter a Alicia Silverstone. O show foi fraco na opinião de muitos. Mas pra quem não é saudosista que nem eu com aerosmith, curtiu as baladas à la "armageddon" e os clássicos, como love in elevator, dream on e sweet emotion.


decepções: o som não estava tão bom, e também que na minha frente tinha uma fã meio pentelha (faz parte) que cantava quase mais alto que steven tyler. Fora a professora que não liberou a gente mais cedo da faculdade, quase atrasa tudo. Aliás, atrasou, perdi metade do show do velvet revolver.

* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Como o post estava ficando muito grande, vou fazer dele uma "blognovela", e continuar amanhã.