terça-feira, 15 de abril de 2008

Esse eu vi!

“Ninguém paga as minhas contas ou sente minhas dores. Então falo o que quero. Quem não quer ouvir, tampa o ouvido, desliga a TV, o rádio ou não compra jornal. Sempre falei o que quis.”


A meio caminho dos meus 23 anos, digo que tive o prazer de assistir o melhor jogador do mundo em partidas ao vivo. Evidente que não estou falando do Pelé, mas de Romário de Souza Faria.

Mas empolgante tanto quanto eu ficava vendo ele jogar na melhor Copa do Mundo da história (1994), era esperar as declarações do Baixinho, sempre sinceras e reais, diferente da água morna que a maioria dos jogadores costuma até hoje fazem.

Frente a aposentadoria dele (acho que agora é definitiva), selecionei um apanhado do jogador, só pra relembrarmos os bons momentos que ele já nos deu. Seja Flamengo, Vasco, Fluminense ou torcedor de qualquer outro time, que já viu ele dar um sacode nos nossos.


"Quando eu nasci, Deus apontou o dedo e disse: esse é o cara"
Em uma coletiva, após ser contratado pelo Fluminense. Repetiu a frase em 2005, num jogo festivo da seleção carioca contra seleção paulista de beach soccer.


"Levei mais de uma mulher para a concentração"
Depois de erguer a taça da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos.


"Não tem problema, vou ganhar a Copa do Mundo e com o dinheiro pago essas multas".
Ao ser multado de 50 dólares a cada 10 minutos de atraso nos treinos do Barcelona, em 1994


"Aqui tem muito rei. Rei têm dois, três, quatro, cinco. Mas Deus, Deus só tem um. E agora eles sabem quem é"
Romário ao ganhar a artilharia do Carioca de 1995, disputada com Renato Gaúcho e Túlio.


“É bom ele se preocupar com a casa dele. Está dando ladrão lá...”.
Recado para Túlio Maravilha, que na época estava no Botafogo.


"Da geração de 70 até hoje, eu sou o mais importante jogador que surgiu no Brasil."
Sobre ele.


"Acordar cedo está sendo duro demais. Fazer o quê? Faz parte da profissão."
"Esse é o horário que costumo chegar em casa para dormir."
Em 2001 com a seleção, comentando de como estava a primeira semana de treinos na Granja Comary em Teresópolis.


"Eles sempre pedem dinheiro. É para gravar CD, para organizar churrasco. Eu não dou. Quem quiser dinheiro que vá trabalhar."
Em 2001, criticando a Força Jovem, do Vasco.


“Eu não fumo, não bebo, não cheiro, não ‘dou’ e não roubo. Minha parada é mulher, todo mundo sabe disso..."
Dando motivos para ser permitido a frequentar a noitada carioca.


"Se eu for à Copa do Mundo, deve ser pelo que estou fazendo, não por aquilo que fiz. E por isso penso que é normal que eu vá, já que agora sou o melhor."
Em 2002, se convocando para a Copa.


"Treinar pra quê, se eu já sei o que fazer"
Em 2005, após brigas por chegar atrasado em treinos do Vasco da Gama.


"A corte agora está contente. O rei, o príncipe e o bobo"
Edmundo = bobo, que disse que Romário era o príncipe, e ainda sobrando pro presidente do Vasco, Eurico Miranda.


"O Pelé calado é um poeta"
Após ser sugerido a se aposentar.


"Não sou amigo dele, mas conheço-o. Já lhe disse que na área sou muito melhor do que ele."
Sobre Pelé.


"Alfonso quem?"
Alfonso declarou que Romário é preguiçoso.


"Não digo que será o meu último ano porque falo nisso há quase uma década."
2004, sobre aposentadoria.


"Se depender da parte técnica ainda vou jogar muitos anos, porque os que estão surgindo agora são muito ruins"
Em 2005, sobre aposentadoria.


"Parei. Não dá mais. Não tenho mais vontade."
Em 2005, sobre a desistência de continuar nos gramados profissionais.


"Que parar o quê!"
Dias depois da declaração anterior.


"Não sou cavalo paraguaio. Mais uma vez, mostrei quem é o puro-sangue"
Meses depois em 2005, aos 39 anos. Artilheiro isolado do Brasileirão.


"Quando durmo muito, não faço gols, por isso gosto de ficar na noite."
2005, confirmando que continuava frequentando a noitada carioca. E sendo artilheiro.


"Tô quebrado, peixe."
Em 2005, negando pedido de pensão de R$10.000 da ex-mulher.


"Goleiro sempre tem mérito. Mas dessa vez não. Do jeito que bati, até a minha mãe pegava"
Sobre um pênalti que perdeu em 2005 contra a Ponte Preta de Campinas.


"Só vejo o Pelé na minha frente. Ele não é rei, é Deus, inigualável. Quanto mais perto chegar dele, mais prazer vou ter. Eu sou eu, nunca me comparei a ninguém e não vou fazer isso agora. Respeito todo mundo, mas me respeito muito também."
Avacalhando com Zico, ao se tornar vice-artilheiro da seleção brasileira.

"Zico não ganhou nada."
Referindo que não levou nenhuma Copa do Mundo


"Quem tem que ter imagem boa é televisão."
Despejou a tia de uma de suas propriedades. Aí foi perguntado se isso não estragaria a imagem dele.


"Pelé marcou gol contra a seleção do Exército e valeu. Marcou gol de terno na demolição de Wembley e valeu! Eu não posso fazer gol contra time da 3ª divisão que vem um monte de babaca encher o saco!"
Sobre a polêmica do milésimo gol, em 2005


"Deus abençoou os pés desse cidadão, mas se esqueceu do resto e principalmente da boca, porque quando ele fala só sai besteira, ou melhor: só sai merda"
Se referindo a Pelé, depois de críticas sobre a atuação na Copa Ouro.


“Técnico bom é aquele que não atrapalha.”
Entrevistado no Sportv em 2006.


"Quem tem filho grande é elefante"
Romário mandando parentada pra fora das casas dele.


"O cara nem entrou no ônibus ainda e já quer sentar na janela"
Pra Alexandre Gama, então técnico do Fluminense que tinha barrado Romário.


Fonte: Rede Globo, Google, Wiki, entre vários outros sites pequenos.


E que vontade de assistir o documentário da copa de 1994...