quinta-feira, 3 de abril de 2008

Interessante...

Se tem um jornalista / colunista que eu gosto de ler, é o Sidney Garambone. Pra quem não sabe, ele é um jornalista do Sportv (sempre está debatendo no Arena Sportv), escreveu uns livros e leva o futebol pra um lado mais cultural. Tem textos brilhantes.

Lendo o blog dele, o Garamblog, me deparei com um artigo brilhante, gostaria de colocar ele aqui, ipsis literis.

ABRE ASPAS

O CRÉU DE ESTRELAS E O CHÃO DE ESTRELAS
Obra da chilena Bruna Truffa, em cartaz no MAC, no terceiro andar do pavilhão da Bienal, Ibirapuera, SP


A RESISTÊNCIA JURÁSSICA chuta para escanteio a demagogia e a falsa noção de democracia! Abaixo o Créu! Não precisa ser pela força da Justiça. Mas a sociedade civil esclarecida e de bom gosto precisa se manifestar. A comemoração e a música são toscas, rasas e sem o menor pingo de inteligência. Músicas de duplo sentido costumam ser divertidas e criativas. A do Créu é de uma obviedade e apelo que ofendem a inteligência das classes A, B, C, D e E.

O Créu não é a voz do morro. Não é o ritmo popular. Não nasceu do nada. Nem da realidade diária do compositor. O Créu é a versão musical do axioma O MUNDO ACABOU HÁ ALGUM TEMPO E POUCA GENTE PERCEBEU.

E para não dizer que o Garamblog não falou de flores. Eis aqui uma das letras mais lindas da música brasileira. Será que éramos mais inteligentes há alguns anos? Ou a preguiça intelectual plantou-se de vez no cérebro de certos modernos que, na verdade, são os maiores baluartes do retrocesso cultural que insiste em fincar postes no novo século. Obrigado a Jair Rodrigues, em cartaz em Sampa, que me fez lembrar desssa poesia num show perdido ontem à noite na Avenida São João, esquina com Ipiranga.

FECHA ASPAS.

Após, Chão de Estrelas, de Orestes Barbosa. Veja aqui.

Fato! Ambiguidade é divertido, tem malícia, diferencial e estimula a criatividade. O movimento fuc(n)k (ok, eu não gosto) tem por aí muitas letras legais, que divertem com o jogo de palavras. Fazem pararmos tudo que estamos fazendo pra... ouvir! Sim, esperar o que está vindo no próximo verso. Já o créu, é algo óbvio e mal feito. Um dos mais fracos que já vi. Fraco tanto quanyo a comemoração dos jogadores do Avaí, provocando a torcida. Se rebaixando a esse ponto.

Aí o que acontece? Lá vem os jurássicos da CBF/FIFA querer coibir comemorações. Provocação é uma coisa, o choro do Souza é uma coisa. Incentivar violência indo lá na torcida adversária é outra. Mandar se calar (a là Edmundo) é uma coisa. Ir lá na torcida e ficar pertinho, esculachando e se achando o macho porque tem uma cerca te protegendo é outra.

Aí o que acontece? Todo e qualquer tipo de provocação vai ser coibido. Quem perde? Nós, é muito legal esperar comemorações inusitadas, provocações e RIVALIDADE. Como o próprio Garambone diz, "Abaixo a rivalidade sadia. Porque se é sadia, não é rivalidade"

Já vi tanta comemoração legal, até achei um vídeo aqui com uma compilação BEEEM legal, vejam só, o começo é meio que circense, mas depois vem de tudo. Só faltou aquela dos caras jogando truco no meio do campo:




Futebol é bem mais que 22 homens tentando fazer gols e defender o seu. É festa, comemoração, diversão.

E eu curto isso pra caralho.