quinta-feira, 21 de agosto de 2008

O futebol e as olimpíadas

Eu tava pra dar umas palavrinhas sobre futebol desde a nossa derrota para a Argentina, mas resolvi esperar mais uns dias pra ver como seria essa final do futebol feminino, já imaginando que o texto poderia assim, ficar mais "completo". Foda. A final foi exatamente o tapa na cara do destino. Tristeza dupla, eu sei, uma semana em que desperdiçamos a chance de ouro perdendo para os dois maiores rivais. Argentina, eterna rival, com direito a chocolate e o nosso anão dunga deixando em campo um Brasil pequeno. E na outra ocasião, as americanas, nossas maiores rivais do futebol feminino. Cheguei até pensar em como seria bonito e irônico (né teixeira?) ter medalha de ouro no futebol feminino em tão pouco tempo, e as estrelinhas, pela vigésima vez saindo de mãos abanando, mas pelo jeito vamos ter de torcer pro fantasma do futebol nas olimpíadas não afetar também a seleção feminina, que enche os olhos dos torcedores até na derrota, vide torcida chinesa que parecia mais a junção da torcida do Corinthians com a do Flamengo torcendo para um time só.

Só que por mais que eu tenha lamentado a derrota da seleção masculina, não gosto de culpar tanto o Dunga assim, porque além de saber que a culpa não é só dele, não gosto de parecer "povão," que mete a boca nele e mal assiste futebol. Vamos por partes. Dunga nunca tinha perdido pra Argentina. Dunga já tinha jogado na retranca e ganhado a copa américa. Dunga faz tudo isso porque é inexperiente e nunca foi técnico na vida. Logo, criticá-lo, é apenas uma saída, besta por sinal, que cai na boca do povo e de comentaristas babacas, como uma dose de massagem na raiva e na tristeza.

Eu, que nunca morri de amores pela seleção, digo isso facilmente porque sei que na hora da raiva critico da mesma forma o meu time do coração, e o que mais se ouvia dizer na rua e na TV entre terça e quarta, era críticas ao Dunga, sua saída, culpa da seleção, vila olímpica e Luxemburgo.

Não passo nem perto de defender o Dunga, ainda que ele tenha sido uma ótima referência pra mim nas copas de 1994 e 1998, como técnico, nunca achei que ele fosse uma boa saída, e sempre soube que ele está lá simplesmente pra testes, e também é claro pra CBF não pagar um salário "gastronômico" sic para outro técnico de ponta e deixar pra pegar um "felipão" quando o calo realmente apertar. Mas me irrita cairem matando nele desse jeito. Como disse, jogar na retranca, foi o jeito que ele conseguiu resultados contra a própria argentina outras vezes, seleção essa que ele equivocadamente imagina ser 10 vezes melhor que a nossa. Me irrita porque não é por isso que devemos descartar e esquecer que isso se chama futebol.

Outro anão, o Mestre Telê, em 1982 tinha a melhor seleção de todos os tempos, segundo pais, avós, tios, familiares em geral, jornalistas e afins. Logo, vocês devem saber também o quanto lamentam a derrota para a Itália e que Paolo Rossi, deve ser uma das pessoas mais odiadas na história deste país. Citei esse exemplo, porque na época, a seleção "canarinho" vinha jogando um futebol maravilhoso, passeando em campo, e entrou pra encarar a Itália com o mesmo espírito. Vencer, convencer, e encher os olhos de quem estivesse assistindo. E imaginem vocês, o Brasil poderia até empatar, que estaria classificado, porque se não me falha a memória, o Brasil tinha um gol a mais de saldo por ter ganhado da Argentina por dois gols de diferença. (ok, eu não era nascido, mas acompanho a história do futebol há bastante tempo). Na época, após a derrota por 3x2, com 3 gols de Rossi, com certeza Telê deve ter sido alvo de críticas intermináveis, por não ter sido "medroso" e cauteloso, como Dunga foi.

Entenderam onde quero chegar? E por ironia daquele destino que citei, dois dias após a eliminação contra a argentina, a seleção feminina, perde exatamente por ter jogado o futebol alegre, bonito, indo pra cima. E numa jogada de sorte do time que jogou "na retranca", falha da muralha Bárbara, que sofreu o gol num dos poucos ataques da seleção americana.

Haja coração, amigos. Isso se chama FUTEBOL. O esporte mais incerto de todos. E ainda tem !@$¨&%**³#)%#$¬¬! que enche o peito pra defender os pontos corridos, por justiça. Ah me poupe!