segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Esportes que nunca ouvi falar - Parte II

Na segunda matéria sobre esportes bizarros ou desconhecidos por nós, vou apresentar o Sepak takraw!

Esse estranho esporte tailandês (e de todos países do sudeste asiático) é uma mistura de vôlei com futebol. Peraí! Então é futvolêi! Nada disso! O esporte foi desenvolvido há mais de 500 anos, onde mistura as técnicas do vôlei com... artes marciais.
Originalmente constituída de bambu (como na imagem aqui ao lado), a bola era lançada através de chutes e assim como no vôlei, o objetivo é colocar a bola ao chão da quadra do adversário. Cada equipe é composta por 3 membros que pode tocar na bola até três vezes durante uma jogada, desde que esteja dentro de sua área (como no vôlei, que o jogador não pode passar da linha de 3 metros), e cada equipe pode passar a bola para o companheiro até 3 vezes (como no vôlei), usando todas partes do corpo, exceto braços e mãos. Sim, você pode pensar como um vôlei "ao contrário" e com três toques cada um.

A quadra de Sepak Takraw é essa aqui abaixo:


Aquele circulo no meio do próprio campo é de onde saem os saques. Os quarto de círculo que estão rente à rede, é de onde um jogador amigo lança a bola para o sacador. Existem algumas faltas, mas não vamos nos ater em regras "complexas", você poderá compreender facilmente tomando as regras de penalidades como no vôlei (tocar na rede, invadir, cortar para fora, entre outras). A primeira equipe que pontuar 21 pontos, ganha um set. Se ficar 20-20, vai até 25, sem acréscimo de pontos. Pode terminar 25-24. A equipe que ganhar 2 sets, vence o jogo. Caso de empate em 1-1, existe o tie-break.


No Brasil:
O Sepak Tarkaw está sendo muito aceito no Brasil pois tem grande similaridade com o futvôlei, esporte muito popular nas praias brasileiras. Porém, isso não quer dizer que o Brasil já realize campeonatos nacionais de grande expressão e visibilidade. Adeptos do futvôlei e da capoeira estão dominando o esporte por aqui, e dando campeonatos mundiais para nosso país em categorias "inferiores", já que não tem quem bata os orientais na modalidade desse divertido e disputado esporte.

Segue vídeo com alguns lances, para você entender como se desenvolve o esporte:




Vamos para nossa análise final:


Nível de masculinidade pra praticar:



Fazendo um paralelo entre o máximo da masculinidade esportiva, Mike Tyson (além de bater como um boi xucro, já arrancou orelha de adversário e aplicou uns socos na esposa) e o extremo oposto (Diego Hipólito), o Sepak fica exatamente em cima da linha. Não há porque ser um esporte extremamente masculino e duro, pois a aceitação feminina é muito grande (e vocês tem que ver o que são de FORTES e esguias as mulheres que praticam profissionalmente o esporte! As coxas parecem dois troncos!). Ao mesmo tempo, não há nada frutinha em jogar. Pelo contrário: É mais duro e agressivo que o vôlei que estamos acostumados a praticar e assistir! Só não leva mais que 50%, porque é um esporte completamente unissex, onde o que vale mais é agilidade que força bruta. Sem problemas para praticar. Pelo contrário! Deve ajudar a desenvolver o corpo.


Nível de popularidade:



Comparando o máximo popular mundial, Michael Jackson e a personalidade mais rejeitada do mundo, o nosso técnico Dunga, o Sepak aponta os 35% de popularidade mundial. Mesmo não sendo popular no ocidente, o esporte é quase unanimidade na Ásia, onde está a maior concentração de pessoas no mundo, que se deleitam assistindo ao clássico Vietnã x Coreia do Sul.


Nível de praticantes:



Quantos praticam esse esporte? Se fossemos comparar com países, China, o mais populoso (1.321.851.888 habs) e Vaticano, o menor (990), o querido Tarkaw estaria com metade da população mundial, graças a China, Bangladesh, Índia, entre outros super-populosos. Seria como um Paraguai e seus 6,6 milhões de habitantes.



Nível de dificuldade:



O Sepak Tarkaw pode até ser um jogo simples de entender. Porém, nada fácil de jogar. Sim, fazer como um futvôlei, até vai. Mas realmente JOGAR, é muito difícil, pois é necessária destreza e domínio de algumas artes marciais, para saltar alto, dominar a bola e deferir ataques potentes. Por isso, fica exatamente com metade do nível de dificuldade.




E semana que vem, mais um esporte que você nunca ouviu falar.