quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Esportes que nunca ouvi falar - Parte III

Continuamos nossa volta ao mundo falando sobre esportes pouco populares, desconhecidos ou bizarros, para nós brasileiros. Hoje, falarei sobre um esporte que parece ser tão divertido quanto violento.


O LACROSSE, originado pelos nativos da América do Norte, é um "College Sport", muito popular entre universidades, e já há algumas décadas difundindo profissionalmente.
Um jogo consiste em carregar e passar uma bola de borracha semelhante a de tênis (mas muito mais densa) por bastões com uma rede na ponta. Composto poe duas equipes com dez jogadores cada, o lacrosse tem o campo dividido em três áreas, cada uma com seus jogadores posicionados: três defensores, três meios, três atacantes e um goleiro. Cada jogador carrega esse "bastão", chamado de crosse ou stick, com medidas entre 1 metro e 1,8 metros. Na ponta dele, a "cestinha" mede cerca de 17cm, como mostrada na imagem ao lado.O objetivo, é como no futebol, hóckey, handebol e tantos outros: Fazer gols!

O jogo é composto por quatro períodos de 15 minutos cada, sempre iniciados pelos famosos face-offs, como do hóckey! As regras são impostas de acordo com a posição de cada jogador, por exemplo, os jogadores de defesa não podem atravessar o meio campo! Os atacantes, não podem voltar para a defesa, são limitados do meio de campo pra frente. Já os três centrais, têm liberdade de andar por todo terreno. Na imagem ao lado, a diagramação de uma quadra de lacrosse.

É um esporte genuinamente Norte-Americano (um dos únicos), já que foi criado pelos índios nativos da América do Norte. Ironicamente, hoje o esporte é extremamente elitista, pois os equipamentos custam muito caro. Não espere ver latinos praticando o esporte por lá.
Existem duas vertentes do esporte: O outdoor (field) e o indoor sobre quadras de hóckey no gelo (box). Profissionalmente, o foco está nos Estados Unidos - Canadá. Ambas modalidades são representadas por ligas, a MLL (Major League Lacrosse), composta por 10 equipes norte-americanas jogada em campo, e a NLL (National League Lacrosse), jogada na quadra com 12 clubes, entre norte-americanos e canadenses. Elas têm algumas pequenas diferenças de regras, além, claro, da versão feminina.
Já apareceu em Jogos Olímpicos como esporte demonstração, mas sempre sem sucesso.





E NO BRASIL?
A princípio o país não tem nem federação do esporte, e é jogado por extremas minorias, pois a aquisição do material é complicada, necessitando de importação, além de serem extremamente caros. Ganhou visibilidade em terras nacionais com o filme American Pie, onde aparecem algumas cenas de jogos universitários, muito disputados na NCAA norte-americana.

Segue um vídeo ilustrando algumas cenas desse esporte. A violência fica por conta de contatos fortes e risco de tomar uma tacada no corpo.




Vamos para os dados finais desse interessante esporte:

Nível de masculinidade pra praticar:

Fazendo um paralelo entre o máximo da masculinidade esportiva, Mike Tyson (além de bater como um boi xucro, já arrancou orelha de adversário e aplicou uns socos na esposa) e o extremo oposto (Diego Hipólito), o Lacrosse pode ser considerado definitivamente um esporte pra MACHO, apesar da prática feminina. Trombadas, Faces-off, brigas, força. Definitivamente, não é pra quem não gosta de esportes de contato.


Nível de popularidade:


Comparando o máximo popular mundial, Michael Jackson e a personalidade mais rejeitada do mundo, o nosso técnico Dunga, o Lax aponta os 30% de popularidade mundial. O Lacrosse é popular, mas não é. Como um esporte pode ser popular mas não é? Bem... É bem-visto em toda comunidade britânica, tem milhares de praticantes, mas não é esporte nacional de nenhum país. Possui ligas profissionais, mas nos Estados Unidos e Canadá, com a popularidade do Futebol Americano, Baseball, Basquete e Hóckey, o Lacrosse fica em segundo plano, tal como o Soccer.


Nível de praticantes:



Quantos praticam esse esporte? Se fossemos comparar com países, China, o mais populoso (1.321.851.888 habs) e Vaticano, o menor (990), o Lax seria uma Nova Zelândia, com 4 milhões de habitantes. Existem MUITOS entusiastas, mas poucos praticantes, afinal, é CARO adquirir os equipamentos.

Nível de dificuldade:




Não é preciso ser nenhum Einstein pra saber jogar e entender o Lacrosse. Porém, é necessária muita força e agilidade juntas, habilidades difíceis de se combinarem. É necessário combinar pontaria com rapidez, agilidade com força e precisão com explosão. Por isso, o Lacrosse fica no meio do caminho entre o extremo da dificuldade com a praticidade.


Esse foi o Lacrosse!
Semana que vem, mais um esporte que você provavelmente não conhece!