sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Anti-Cigarro

5 ótimas campanhas contra o cigarro.






quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Apocalipse

Lente para câmera permitiria ver através da roupa

A norte-americana David Steele colocou à venda um filtro infravermelho para lentes de câmeras de vídeo que, garante, permite ao aparelho "ver" através de roupas, vidros escuros e óculos de sol.

Segundo o fabricante, muitos tipos de tecido permitem a passagem de luz. Ao atingir a pele, essa luz é refletida de volta através da roupa em forma de luz normal e infravermelha, mas só percebemos a primeira a olho nu. Esta lente filtra a luz e usa a infravermelha para tornar o tecido "translúcido".



Os tecidos que melhor respondem a esse filtro são a seda, materiais sintéticos em geral e roupas de banho.

Para disfarçar o principal propósito do dispositivo - satisfazer os curiosos -, o site recomenda seu uso por policiais e equipes de vigilância.

O acessório custa US$ 199, equivalente a R$ 460.

* * * * *

Já encomendei dois. O AssGlass e o BoobiesGlass


Histórico - 26 de novembro de 2008

Amigos, ontem tive uma das maiores alegrias de minha vida. Um dia que, sem exageros, ficará na minha mente pra sempre. A emoção de ouvir Love of My life ao vivo foi tão grande que o primeiro verso eu mal conseguia cantar, juro pra vocês. Não foi nada comparado ao primeiro rock in rio, em 1985, mas a emoção para quem estava no via funchal ontem, deve ter sido a mesma de quem viveu essa outra ocasião. Nunca vi tantos rostos emocionados num mesmo lugar, foi de arrepiar, de lavar a alma, de sentir tudo por dentro paralizado e apenas ficar que nem bobo olhando o brian may sentado em frente ao palco, tocando sua viola, e se sentir na década de 80, ouvindo a galera toda em coro. Aliás, já arrepia de lembrar quando paul rodgers, apresentou brian may, e esse, com a mesma cabeleira de sempre, pegou sua viola, sentou, e disse "vocês querem cantar para freddie?". É agora, pensei comigo.

Não entendo uma coisa: todas as pessoas que eu comentava do show, diziam o mesmo, que sem freddie não é igual. É mais do que óbvio isso, mas nem por isso dá pra dizer que não valeria a pena ter ido no show ontem. Roger Taylor e Brian May dois velhacos que continuam carismáticos e em boa forma. E tem mais, love of my life, o ponto alto do show, quase nem precisa de freddie, com aquela multidão cantando a música inteira só com o violão. Hahahuauhau. Brincadeira. Mas não se pode perder um show desse de jeito nenhum se você é amante de shows, de rock, de clássicos e etc. Pra não parecer muito poser, o show no geral teve um repertório enorme, cheio de clássicos, com boas apresentações e solos dos integrantes. I want to break free, a kind of magic, under pressure, radio ga ga, show must go on, we will rock you, we are the champions (que também emociona) entre outras músicas, fizeram do show de quase 3 horas de duração, um verdadeiro dia histórico. Senti falta de somebody to love e friends will be friends, mas tá beleza também.

Me emocionei demais com a "surpresa" em Bohemian Rhapsody. Pensava antes do show que ninguém fora o freddie tinha o direito de tocar e cantar isso, representar como ele. Estaria com o pensamento da maioria nessa música, tudo bem, mas é que é foda mesmo, uma apresentação impecável. Dito e feito, o telão anunciava freddie mercury sentadinho em seu piano. Fantástico. Um "playback" com direito ao resto da banda entrando durante a música. Totalmente sem preço.

Veja o vídeo de ontem de love of my life. "Beautiful".


E esqueci de citar no texto. Só uma pessoa poderia substituir freddie ontem. Chuck Norris.


Hhahahahahahahahaha.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Quem já tomou?

Nossa leitora Juliana e suas viagens pelo litoral... ...foi pedir um cocktail, achou algo diferente, fotografou e mandou pra cá!









Já pensou?

- Boa tarde, eu quero tomar Na Bunda
- Pois não, são R$8,50


Criatividade do brasileiro é sensacional.
Só falta a garçonete se chamar Paula Tejando.


FIcou curioso em saber qual é o gosto de tomar Na Bunda?
Longe de mim!!!!

Viu algo parecido?
Mande pra nós: pudimdebeterraba@gmail.com





Marketing Promocional

Haja criatividade. Pessoal foi sortear um fuscão no fim do ano, mas aí a surpresa: recheado de latinhas de cerveja. Que beleeeeza.


Dica do Fe Agune.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Uma nova arma no futebol...

Esse cara aí deixa Roberto Carlos com inveja. O cara tem uma força nos braços que consegue fazer do lateral, um escanteio, e assim, transformar uma bola besta, em perigo claro de gol. Veja o vídeo e tire suas conclusões.



O cara é um Hulk praticamente.

Do you speak english?

Encontrei essa propaganda, que foi feita para uma escola de inglês, e achei um absurdo de criativa. Com o slogan, "o mundo entende o seu inglês", escreverem "do you speak english?" com a "fonte" e estilo de letra de alguns países, como rússia, grécia, japão e arábia saudita. A idéia que parece até simples, é de extremo bom gosto, e dá um efeito sensacional.






Yes, I do.

Esportes que nunca ouvi falar - Parte II

Na segunda matéria sobre esportes bizarros ou desconhecidos por nós, vou apresentar o Sepak takraw!

Esse estranho esporte tailandês (e de todos países do sudeste asiático) é uma mistura de vôlei com futebol. Peraí! Então é futvolêi! Nada disso! O esporte foi desenvolvido há mais de 500 anos, onde mistura as técnicas do vôlei com... artes marciais.
Originalmente constituída de bambu (como na imagem aqui ao lado), a bola era lançada através de chutes e assim como no vôlei, o objetivo é colocar a bola ao chão da quadra do adversário. Cada equipe é composta por 3 membros que pode tocar na bola até três vezes durante uma jogada, desde que esteja dentro de sua área (como no vôlei, que o jogador não pode passar da linha de 3 metros), e cada equipe pode passar a bola para o companheiro até 3 vezes (como no vôlei), usando todas partes do corpo, exceto braços e mãos. Sim, você pode pensar como um vôlei "ao contrário" e com três toques cada um.

A quadra de Sepak Takraw é essa aqui abaixo:


Aquele circulo no meio do próprio campo é de onde saem os saques. Os quarto de círculo que estão rente à rede, é de onde um jogador amigo lança a bola para o sacador. Existem algumas faltas, mas não vamos nos ater em regras "complexas", você poderá compreender facilmente tomando as regras de penalidades como no vôlei (tocar na rede, invadir, cortar para fora, entre outras). A primeira equipe que pontuar 21 pontos, ganha um set. Se ficar 20-20, vai até 25, sem acréscimo de pontos. Pode terminar 25-24. A equipe que ganhar 2 sets, vence o jogo. Caso de empate em 1-1, existe o tie-break.


No Brasil:
O Sepak Tarkaw está sendo muito aceito no Brasil pois tem grande similaridade com o futvôlei, esporte muito popular nas praias brasileiras. Porém, isso não quer dizer que o Brasil já realize campeonatos nacionais de grande expressão e visibilidade. Adeptos do futvôlei e da capoeira estão dominando o esporte por aqui, e dando campeonatos mundiais para nosso país em categorias "inferiores", já que não tem quem bata os orientais na modalidade desse divertido e disputado esporte.

Segue vídeo com alguns lances, para você entender como se desenvolve o esporte:




Vamos para nossa análise final:


Nível de masculinidade pra praticar:



Fazendo um paralelo entre o máximo da masculinidade esportiva, Mike Tyson (além de bater como um boi xucro, já arrancou orelha de adversário e aplicou uns socos na esposa) e o extremo oposto (Diego Hipólito), o Sepak fica exatamente em cima da linha. Não há porque ser um esporte extremamente masculino e duro, pois a aceitação feminina é muito grande (e vocês tem que ver o que são de FORTES e esguias as mulheres que praticam profissionalmente o esporte! As coxas parecem dois troncos!). Ao mesmo tempo, não há nada frutinha em jogar. Pelo contrário: É mais duro e agressivo que o vôlei que estamos acostumados a praticar e assistir! Só não leva mais que 50%, porque é um esporte completamente unissex, onde o que vale mais é agilidade que força bruta. Sem problemas para praticar. Pelo contrário! Deve ajudar a desenvolver o corpo.


Nível de popularidade:



Comparando o máximo popular mundial, Michael Jackson e a personalidade mais rejeitada do mundo, o nosso técnico Dunga, o Sepak aponta os 35% de popularidade mundial. Mesmo não sendo popular no ocidente, o esporte é quase unanimidade na Ásia, onde está a maior concentração de pessoas no mundo, que se deleitam assistindo ao clássico Vietnã x Coreia do Sul.


Nível de praticantes:



Quantos praticam esse esporte? Se fossemos comparar com países, China, o mais populoso (1.321.851.888 habs) e Vaticano, o menor (990), o querido Tarkaw estaria com metade da população mundial, graças a China, Bangladesh, Índia, entre outros super-populosos. Seria como um Paraguai e seus 6,6 milhões de habitantes.



Nível de dificuldade:



O Sepak Tarkaw pode até ser um jogo simples de entender. Porém, nada fácil de jogar. Sim, fazer como um futvôlei, até vai. Mas realmente JOGAR, é muito difícil, pois é necessária destreza e domínio de algumas artes marciais, para saltar alto, dominar a bola e deferir ataques potentes. Por isso, fica exatamente com metade do nível de dificuldade.




E semana que vem, mais um esporte que você nunca ouviu falar.